Visita à Oficina Boracéa

Em visita ao projeto Oficina Boracéa, localizado à  Rua Norma Peruccini Gianotti, 77 – Barra Funda, realizada no dia XX/05/2012, verificou-se que há algumas mudanças em relação ao projeto original.

A entrada principal da Oficina ocorre por um Espaço de Convivência (Tenda), política da atual gestão em relação aos moradores de rua.

TENDA

” No local, os usuários são atendidos por assistentes sociais e técnicos da saúde e recebem orientação e encaminhamento para os serviços da Prefeitura. Além disso, são disponibilizados banheiros com chuveiros (para aqueles que aceitam tomar banho), kits de higiene, oficinas de capacitação e, ainda, atividades culturais e de lazer, com o objetivo de estimular a reintegração social. Além do Jardim da Vida I e II, existem outros quatro espaços na Cidade: Mooca, Santa Cecília, Bela Vista e Barra Funda.”

Secretaria Municipal de Assistência Social (http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/assistencia_social/noticias/?p=36004)
No Centro de Convívio Barra Funda há uma pequena biblioteca administrada por um morador de rua, que cuida da retirada e manutenção dos livros, uma pequena horta para a realização de uma oficina, uma sala central que concentra televisão, cadeiras e mesas para jogos, sala de segurança, sala da assistência social e banheiros.

Ao chegar ao local o morador preenche uma ficha de cadastro com o auxílio de uma assistente social e seu nome é colocado em uma lista para o pernoite na Oficina Boracéa, sendo disponibilizadas 500 vagas, cuja prioridade é dos idosos e pessoas com deficiências.

Entretanto, percebemos que as principais atividades realizadas no local consistem na distração de parte dos moradores com jogos e televisão, além do uso dos banheiros. Sendo necessário o cadastro e permanência no centro de convívio para garantir a vaga em albergues de forma a concentrar em um lugar os moradores de rua

Alguns usuários comentaram problemas em relação à manutenção dos banheiros, como o não funcionamento das descargas e o banho ser frio, e também por não ser permitido a entrada dos animais de estimação nos albergues, o que muitas vezes faz com que os moradores de rua não utilizem o serviço.

OFICINA BORACÉA

Ao transpor o Centro de Convívio o usuário passa por um portão e apresenta uma carteirinha de cadastro na Oficina Boracéa que permite a sua entrada no local.

Na visita não foi possível o acesso ao projeto por ser necessária uma autorização prévia e pela falta de resposta ao documento encaminhado para os gestores, entretanto pelo que foi possível visualizar notou-se uma grande quantidade de pessoas com mobilidade reduzida e idosos. No local há um grande pátio central de convivência, que interliga os diversos serviços, como o restaurante, a ala dos enfermos e os blocos para o pernoite.

Em relação à ideia do projeto original houve uma grande modificação, uma vez que a Oficina foi projetada para a livre circulação e reinserção dos moradores de rua na sociedade através do aprendizado nas diversas atividades. Atualmente o acesso tornou-se restrito aos usuários fixos, funcionários e nos horários de pernoite demais moradores de rua, e a principal atividade do projeto que era a reciclagem dos materiais provenientes dos catadores não existe mais.

Anúncios